Estudos Bíblicos | Baixar Livros PDF

Biblioteca com mais de 5 mil estudos bíblicos gratuitos e centenas de livros evangélicos para baixar em PDF.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

A Filiação dos Crentes na Teologia Paulina

A Filiação dos Crentes na Teologia Paulina
A interpretação precedente de huiothesia que tem como antecedente a tradição relativa a 2 Samuel 7.14 constitui o ponto de partida lógico e necessário para interpretar as referências mais gerais de Paulo à filiação dos crentes, pois a adoção como filhos de Deus oferece o meio de ingresso na filiação divina. Por isso, as passagens paulinas que atribuem adoção aos crentes também os chamam “filho(s)” (masculino no original; cf. Gl. 3.26; 4.6,7; Rm. 8.14,19; 9.26) ou, sem especificar gênero no original grego, “ filhos” [tekna; cf. Rm. 8.16,17,21) de Deus. O texto de 2 Coríntios 6.18, sob a influência de Isaías 43.6, claramente amplia o conceito de adoção e inclui “filhas”. Assim, homens e mulheres são incluídos no conceito paulino de “filiação divina. Em Filipenses 2.14,15, Paulo instrui seus leitores a fazer “todas as coisas sem queixas nem discórdias, para que vos torneis filhos de Deus irrepreensíveis, sinceros e íntegros no meio de uma geração corrupta e perversa”. A referência aqui aos “filhos” de Deus “irrepreensíveis” (amõmd) faz alusão a Deuteronômio 32.5, em que, por haverem pecado, os israelitas são caracterizados como “corrompidos” (mõmêtd) e como “não [...] filhos” no contexto do cântico de Moisés, que prediz a tríade pecado-exílio-restauração. Dessa maneira, Paulo contrasta a situação que conduziu à punição dos israelitas como filhos de Deus com a maneira em que os crentes, como filhos de Deus, agora devem se comportar (cf. 2Co. 6.14 — 7.1; Rm. 8.4,12-14).


FONTE: Dicionário Teológico do Novo Testamento p. 28
quarta-feira, 12 de março de 2014

Onde e Quando a Carta aos Romanos foi Escrita?

Onde e Quando a Carta aos Romanos foi Escrita?
Em nenhuma das outras cartas de Paulo o lugar e a data em que foi escrita estão tão claramente indicados na própria carta, como no caso da carta aos Romanos. Em 15.19-32 o apóstolo deixa claro que ele está se aproximando do ponto culminante do seu ministério no Oriente. Ele pregou o evangelho “desde Jerusalém e arredores até ao Ilírico”, e prossegue dizendo que sente ter concluído a sua missão naquela vasta região. Agora ele planeja ir à Espanha, e visitar a igreja romana no caminho, uma vez que Roma já está evangelizada. Porém antes, ele precisa executar uma tarefa especial em Jerusalém. Durante algum tempo ele se dedicou a fazer uma coleta entre as igrejas da Macedônia e da Grécia, para “os pobres santos” que estavam em Jerusalém. Esta oferta agora está praticamente completa, e Paulo só está esperando a oportunidade para entregá-la.

Como em 1 Coríntios 16.3-4, Paulo indica que ele planeja terminar o seu trabalho de coleta em Corinto e partir daquela cidade em direção a Jerusalém, e como na época da escrita da segunda carta aos coríntios (veja 9.3-5) ele está executando esse plano e está a caminho de Corinto, é razoável supor que ele escreveu a Epístola aos Romanos em Corinto. Esta opinião encontra apoio no fato de a Epístola ter sido entregue pela diaconisa Febe, que era de Cencréia, o porto leste de Corinto (16.1). Esta teria sido a última visita que o apóstolo fez àquela cidade, uma vez que logo depois, em Jerusalém, teve início o seu longo período de prisão (cf. At 20.2-3). A carta foi ditada a um certo Tércio (16.22).

Os estudiosos não conseguiram estabelecer, com um grau de certeza, a época exata desta última visita a Corinto. A data depende de toda a cronologia que se adote para o ministério de Paulo. A data mais antiga sugerida é entre janeiro e março de 53 d.C., e a mais tardia é entre janeiro e março de 59 d.C.



FONTE: Comentário Bíblico Beacon vol. 8, p. 22.

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Significado de Sinais e Milagres no Evangelho de João

Significado de Sinais e Milagres no Evangelho de João
A palavra grega usada aqui é semeion. Em seu uso clássico, significava: (a) uma marca, sinal ou símbolo pelo qual algo é conhecido; um traço, um rastro; (b) um sinal dos deuses, um presságio; (c) um sinal para fazer qualquer coisa; um sinal para a batalha. No grego koinê, a palavra significava “milagre” ou “maravilha”, bem como “sinal”. A versão King James, em inglês, traduz a palavra quatro vezes como “sinal”, e treze vezes como “milagre”. Sendo utilizada na declaração do propósito de João, a palavra apresenta duas ideias distintas. Certamente refere-se aos milagres realizados por Jesus, alguns dos quais são registrados exclusivamente no quarto Evangelho. Mas ela também oferece uma pista diante da pergunta: Por que ele registrou estes milagres como sinais? Traduzida literalmente, a resposta é: “para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus”. João viu os milagres de Jesus como sinais para ação, e designou o ato de fé como sendo a ação desejada.


FONTE: Comentário Bíblico Beacon vol. 7, p. 22-23.
sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Significado da Palavra LOGOS em Grego

Significado da Palavra LOGOS em Grego
3056. λόγος lógos; gen. lógou, masc. substantivo de légō (3004), falar de forma inteligente. Inteligência, a palavra como expressão dessa inteligência, discurso, dito, coisa.

(I) Palavra, tanto o ato de falar e a coisa falada.

(A) Palavra, como pronunciada pela voz viva, uma fala, discurso, pronunciamento (Mat. 8:8; Luc. 7:7; 23:9; 1 Cor. 14:9; Heb. 12:19); um provérbio, discurso, conversa (Mat. 12:37; 15:12; 19:22; 22:15; 26:1; Jo. 4:29; At. 5:24). Metaforicamente, o poder de fala, oratória, eloquência (1 Cor. 12:8; 2 Cor. 11:6; Efe. 6:19). Falar uma palavra contra alguém (Mat. 12:32); para alguém (Luc. 12:10). A Palavra de Deus, significando Sua onipotente voz, decreto (2 Pet. 3:5, 7; Sept.: Sal. 32:6 [cf. Gên. 1:3; Sal. 148:5]).

(B) Uma palavra enfática, significando um dito, declaração, sentimento pronunciado. (1) De forma geral (Mat. 10:14; Luc. 4:22; 20:20; Jo. 6:60; Sept.: Prov. 4:4, 20). Em referência a palavras ou declarações, e. g., que procede (Mat. 7:24, 26; 15:12; 19:22; Mar. 7:29; Jo. 2:22; 4:50; 6:60; 7:40; 10:19; At. 5:24; Tit. 3:8; Apo. 19:9); que segue (Jo. 12:38; At. 20:35; Rom. 9:9; 13:9; 1 Cor. 15:54; 1 Tim. 3:1; Sept.: 1 Rs. 2:4). Seguido pelo gen. de coisa (Heb. 7:28); a palavra, declaração de um profeta, significando predição, profecia (Luc. 3:4; Jo. 12:38; At. 15:15; 2 Pet. 1:19; Apo. 1:3). Com o significado de um provérbio, uma máxima (Jo. 4:37). (2) Em referência a religião, deveres religiosos, com o significado de doutrina, preceito (At. 15:24; 18:15; Tit. 1:9; Heb. 2:2); palavras de fé (1 Tim. 4:6); palavra de homens (1 Tess. 2:13; 2 Tim. 2:17); de um professor (Jo. 15:20); especialmente de Deus, da Palavra de Deus, significando revelação divina e declaração, oráculo (Jo. 5:38; 10:35); como anunciando promessa boa e divina (Jo. 5:24; Rom. 9:6; Heb. 4:2; Sept.: Sal. 50:6), ou má (Rom. 3:4 de Sal. 51:4; Rom. 9:28 de Is. 10:22, 23; Heb. 4:12). Em relação aos deveres, preceitos (Mar. 7:13; 8:55; Sept.: Êx. 35:1). Das divinas declarações. preceitos, oráculos, relacionados com as instruções dos homens na religião, a Palavra de Deus, i.e., as divinas doutrinas e preceitos do evangelho, o evangelho em si (Luc. 5:1; Jo. 17:6; At. 4:29, 31; 8:14; 1 Cor. 14:36; 2 Cor. 4:2; Col. 1:25; 1 Tess. 2:13; Tit. 1:3; Heb. 13:7). Com “de Deus” implícito (Mar. 16:20; Luc. 1:2; At. 10:44; Fil. 1:14; 2 Tim. 4:2; Tg. 1:21; 1 Pet. 2:8; Apo. 12:11); a palavra da verdade (2 Cor. 6:7; Efe. 1:13; 2 Tim. 2:15; Tg 1:18); a palavra da vida (Fil. 2:16); a palavra da salvação (At. 13:26); a palavra do reino (Mat. 13:19); com o reino implícito (Mat. 13:20; Mar. 4:14); a palavra do evangelho (Acts 15:7); a palavra da cruz (1 Cor. 1:18); a palavra de Sua graça (Acts 14:3; 20:32). No mesmo sentido de Cristo, a palavra de Cristo (John 5:24; 14:23, 24; Col. 3:16); a palavra do Senhor (At. 8:25).

(C) Palavra ou palavras, significando discurso, o ato de transmitir. (1) Particularmente: (a) Mat. 22:15, “como o surpreenderiam com alguma palavra” (a.t.); Luc. e 9:28; At. 14:12, alguém liderando na palavra; 2 Cor. 10:10; com en (1722), em, significando em palavra, ou discurso (1 Tim. 4:12; James 3:2); com palavras lisonjeiras (1 Tess. 2:5); com diá (1223), através, por, significando discurso ou oralmente (At. 15:27; 2 Tess. 2:2, 15). Em acordo com lógos e érgon (2041), obra, significando palavra e obra (2 Cor. 10:11; Col. 3:17). Lógos e dúnamis (1411), poder (1 Cor. 4:19, 20; 1 Tess. 1:5). In Heb. 5:11, “de quem temos muito a dizer” (a.t.). Com o gen. em 1 Tim. 4:5, “através da palavra de Deus e súplica” (a.t.). (b) De professores, significando discursos, ensino, pregação, instrução (Mat. 7:28; 26:1; Luc. 4:32, 36; Jo. 4:41; At. 2:41; 13:15; 20:7; 1 Cor. 1:17; 2:1, 4; 1 Tim. 5:17; 1 Ped. 3:1). (c) Daqueles que relatam alguma coisa como uma narrativa, uma história (John 4:39; Acts 2:22). Metaforicamente para história, tratado, significando um livro de narração (At. 1:1). (d) No sentido de conversação (Lucas 24:17); respostas, réplica (Mat. 5:37). (2) Metaforicamente para o assunto do discurso, significando tópico, matéria, coisa. (a) Geralmente (Mat. 19:11; Luc. 1:4; At. 8:21; Sept.: 2 Sam. 3:13; 11:18). (b) Especificamente um assunto de disputa, discussão, questão, e.g., judicial (Acts 19:38); moral (Mat. 21:24).

(D) Palavra, significando conversa, rumor, relato (Mat. 28:15; Mar. 1:45; Jo. 21:23). Seguido de perí (4012), sobre, com o gen. (Luc. 5:15; 7:17; At. 11:22; Sept.: 1 Rs. 10:6). Mera conversa, pretensa, amostra (Col. 2:23).

(II) Razão, a faculdade de raciocínio como o poder da alma que é a base do discurso, racionalidade.

(A) A razão, a base, causa (Mat. 5:32; Acts 10:29; Sept.: 2 Sam. 13:22). Com katá (2596) significando com razão, razoável, por boa causa (At. 18:14). No sentido de argumento (Acts 2:40).

(B) Razão como exigida ou atribuída, que significa cálculo, conta. (1) usado em um sentido absoluto (Hb 13:17; 1 Ped 4:5). (2) Com sunaírō (4868), fazer contas, calcular em conjunto, ou seja, para assumir conta com alguém, contar com (Mat. 18:23; 25:19); com apodídōmi (591), dar mais, ou seja, tornar um relato de uma gestão empresarial (Luc. 16:2). (3) Metaforicamente com didomi (1325), dar, ou apodídōmi, ou seja, dar conta, a relação e as razões de qualquer transação, explicação (At. 19:40). Com aitéō (154), pedir, implorar, ou seja, pedir uma razão de alguém (1 Ped. 3:15). Em Heb. 4:13, "com quem nós temos que fazer" ou temos de prestar contas. (4) Com poieo (4160), fazer, operar, fazer conta, ou seja, considerar, cuidar (At. 20:24), ou seja, levo em consideração nenhuma dessas coisas, não sou movido por elas. (5) Seguido por peri (4012), a respeito de algo ou alguém (Mat. 12:36;. Rom. 14:12).

(III) A palavra Lógos em João 1:1, 14; 1 João 1:1 representa a Encarnação de Cristo, a natureza divina, espiritual falada em escritos judaicos antes e por volta do tempo de Cristo debaixo de vários nomes, e.g., sophía (4678), sabedoria (Prov. 8:12); Filho do Homem (Dan. 7:13); Palavra de Jeová (Gen. 20:3; Is. 22:4).

(IV) Quanto a distinção entre lógos e laliá (2981), discurso:

João 8:43 é uma passagem problemática em que temos duas palavras, lalia e lógos, usadas ​​por nosso Senhor. Ele estava debatendo com os fariseus. Eles estavam ouvindo o que ele tinha a dizer, mas não eram capazes de entender porque eles não querem entender. O Senhor disse -lhes: "Por que não compreendeis a minha linguagem [lalián]?" Em outras palavras, "O que estou dizendo a vocês parece não ter significado algum". E por que não tem significado? O motivo é explicado no balanço do parágrafo: "Mesmo porque não podeis ouvir a minha palavra [logon]", ou melhor ainda: "Porque vocês não conseguem entender e obedecer [akouo { 191 }] meu logon,"  (at) ou da fala, com o seu significado pretendido. O que o Senhor realmente quis dizer é que aqueles que não vão dar espaço em seus corações para a Sua verdade não entenderão Seu discurso ou enunciado, a forma exterior de sua língua, que a Sua Palavra (Logos) assume. Aqueles que são de Deus ouvem as palavras de Deus (rhé̄mata, pl. de rhema [4487], Jo. 3:34, 8:47). A palavra rhema aqui é equivalente a logos. João 3:34 diz que Jesus Cristo, que está sendo enviada de Deus, fala exatamente as declarações de Deus, que aqueles que são de Deus entendem e que aqueles que não são de Deus, não entenderam porque não aceitaram-nas como a pronunciação de Deus.

Em João 1:1, Jesus Cristo em Seu estado pré-encarnado é chamado ho Logos, a Palavra, apresentando-o como a Segunda Pessoa da Trindade, que é a expressão eterna da inteligência divina e na divulgação da essência divina. Esta característica de auto-revelação de Deus foi dirigida a e totalmente alcançada pela humanidade na encarnação (João 1:14, 18).

Deriv.: álogos (249), irracional, sem inteligência; analogía (356), analogia; analogízomai (357), contemplar, considerar; apologéomai (626), retrucar, responder; battologéō (945), usar de vã repetição; ellogéō (1677), considerar; eulogéō (2127), falar bem de, abençoar; logízomai (3049), imputar; logikós (3050), razoável; lógios (3052), fluente, pessoas inteligente; polulogía (4180), muita falar.

Sin: phemi (5346), falar com um tom profético; propheteía (4394), a profecia, algo falado antes de sua ocorrência ou falado diante; homilia (3657), a homilia, a comunicação, o discurso; lalia (2981), discurso, não necessariamente o resultado de raciocínio, mas falando em contraste com o silêncio ou a comunicação de uma mensagem recebida; rhema (4487), em palavra, provérbios, em particular, em contraste com provérbios em sua totalidade; estoma (4750), a boca, o que é proferida pela boca; eperótēma (1906), um inquérito, resposta; suzetēsis (4803), o questionamento mútuo, phthóggos (5353), o som da boca revelando a identidade de alguém; pheme (5345), a fama, o relatório, o que está sendo dito sobre alguém, chamado (5456), voz; aggelía (31), mensagem, anúncio. Com o significado de razão, desculpa: aitia (156), razão, causa; aphormé (874), ocasião. Com o sentido da razão, da inteligência: sunesis (4907), a compreensão; sophrosune (4997), a solidez de espírito.


FONTE: Zodhiates, S. (2000, c1992, c1993). The complete word study dictionary: New Testament (electronic ed.) (G3055). Chattanooga, TN: AMG Publishers.